BUSINESS PLAN

 

Muitos empresários subestimam a importância de elaborar um business plan. Eles não avaliam o quanto contar com um bom plano de negócios pode ajudá-los a captar recursos de mercado, a programar o futuro e a manter registros organizados do andamento dos negócios; este instrumento obriga empresários e executivos a examinar com lupa todos os fatores que afetam seu empreendimento.  Durante o processo falhas e ameaças poderão ser rapidamente atacadas, transformando o plano num poderoso instrumento de atuação da alta gerência. Três, portanto, são os benefícios que as empresas têm ao elaborar um business plan:

 

  • É um plano que orienta como os negócios devem ser conduzidos, refinando as estratégias e abrindo a oportunidade de “cometer erros no papel”, ao invés de fazê-lo na vida real.

  • É uma ferramenta de análise retrospectiva, contra cujas metas os empresários podem avaliar a real performance dos negócios e das equipes para, rapidamente, introduzir medidas corretivas.

  • É um documento obrigatório para aquelas empresas que queiram captar recursos no mercado de capitais ou através de fusões ou vendas parciais de suas operações.

 

Nossa metodologia para a construção do business plan pode seguir dois caminhos diferentes, conforme seja a realidade de cada organização. Numa primeira hipótese, já existe um plano estratégico aprovado e em vigor. Neste caso, o business plan será escrito a partir das definições sobre as metas, os objetivos e as estratégias previamente definidas e constará de cinco capítulos:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Definição e descrição dos produtos e serviços oferecidos.

  • Plano de marketing abordando as dimensões do mercado, a competição a ser enfrentada e definindo a estratégia de marketing a ser seguida. Metas de vendas, investimentos em materiais e processos de divulgação e distribuição também são detalhados neste momento.

  • Plano operacional, projeto que aborda o modelo de produção, definindo as fontes de insumos, os processos produtivos e as necessidades de mão-de-obra.

  • Revisão das estruturas gerencial e organizacional definidas no plano estratégico.

  • Planejamento financeiro, peça que, baseando-se inicialmente nos orçamentos aprovados, apresenta um conjunto de projeções abrangentes e fundamentadas, antecipando os resultados financeiros da empresa. Feito criteriosamente, o planejamento financeiro trará todas as informações necessárias para a determinação do real valor de uma empresa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já para aquelas empresas que ainda não contam com um plano estratégico, alguns passos preliminares serão necessários:

 

  • Definir a missão, visão e objetivos da empresa, sem o que será impossível estabelecer produtos, serviços e mercados preferenciais.

  • Definir as estratégias para que os objetivos sejam atingidos.

 

Também para este conjunto de empresas, o capítulo de revisão das estruturas gerencial e organizacional sofrerá algumas mudanças, passando a ser um momento de definição e não mais de mera revisão. Por fim, estas empresas também terão uma atenção redobrada no planejamento financeiro, uma vez que poderá não existir um conjunto organizado de orçamentos.


Todas as definições resultantes do business plan são monitoradas por um balanced scorecard que fornecerá índices e dados sobre o andamento dos negócios e sua aderência às premissas planejadas.